sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

25 - Último


Cheguei no aeroporto e, como os seguranças me conheciam, me deixaram entrar na pista, estacionei no primeiro lugar que vi e saí correndo. Procurei em todos os lugares que via pela frente e, quando as esperanças eram mínimas, a vi caminhando para um jatinho.
Corri como nunca corri na vida e consegui chegar antes que ela entrasse. 




- Alexa! - gritei e ela parou assustada - Vamos conversar, por favor. - pedi me aproximando.
- Não temos nada para falar, adeus Luan. - deu alguns passos mas consegui segurá-la.
- Por favor, só me faça entender o que está acontecendo. 




Ela me olhou e começou rindo. 




- Mesmo depois de divorciados, você quer satisfações? Me poupa. - falou rude .
- A partir do momento em que você me rouba, sim, eu quero satisfações. - rebati. - Você não é assim, Alexa. Você não é essa pessoa fria, sem escrúpulos, mau carácter.
- Você não sabe quem eu sou.
- Eu sei, você é que está se enganando a si mesma. - suspirei - Você lembrou de tudo né? - ela riu fraco e se aproximou acariciando o meu rosto com um sorriso assustador no rosto.
- Nunca esqueci. - riu sem humor e fiquei estático.
- Você não perdeu a memória? - questionei chocado.
- Não, eu sempre estive consciente de tudo. Gostou do meu teatro? - provocou e peguei forte no seu braço.
- Você não imagina a raiva que eu estou de você agora, eu seria capaz de te matar.
- Mas não vai fazer isso, porque você é louco por mim. Se não fosse, não estaria aqui, você teria deixado para lá e mandaria a polícia tratar do assunto.
- Por que você fez isso comigo, por que não foi logo sincera?
- Fazia parte do plano. - sorriu - Já que eu vou embora mesmo, melhor você saber de tudo. Mas me solta. - a larguei querendo saber toda a verdade.
- Conta, você só sai daqui quando me contar tudo. 




Ela assentiu e cruzou os braços me encarando. Como uma pessoa tão linda assim poderia ser tão feia por dentro? As aparências enganam tanto. 




- Bem, tudo começou naquele dia em que eu te vi com a Teresa.
- Ela é Sandra, não é Teresa. - rebati.
- Ela é Teresa, sim. - dei de ombros e ela continuou - Nós estávamos no carro e ela me contou tudo que você fez com ela, toda a ilusão e depois o abandono. - ri sem humor, aquilo era uma tremenda mentira - Ela me contou sobre o meu irmão, você andava pagando as mordomias dele em Salvador, e eu fingia acreditar que ele estava viajando.
- Mordomia? - ri - Você não faz ideia do que o seu irmão passou... mas continua, depois você saberá a minha verdade, a única verdade.
- Ela me contou que o melhor plano era um acidente para eu fingir acordar e não lembrar de nada. Eu confiei nela, mas não esperava que me fosse deixar um mês em coma. - suspirou . Quando acordei e tive acesso a um celular, eu contactei-a e começamos a colocar todo o plano em prática.
- Com isso você quer dizer: a nossa briga por causa da Sandra, o show cancelado, o incêndio no escritório, a música extraviada...
- As fotos vazadas do casamento. - adicionou e me sentia cada vez mais enganado. - Você acreditava tanto em mim que se eu dissesse que não tinha nada a ver com essas coisas, você acreditaria imediatamente. Eu nunca imaginei que você fosse tão fácil de ter na mão.
- Você viu tudo que eu fiz por você, e ainda assim, teve coragem de me magoar tanto assim.
- Você brincou com os meus sentimentos, Luan. Você só teve o que mereceu, o mesmo que fez à Teresa e a mim.
- Eu não te fiz nada.
- Não fez por causa do acidente, porque se a gente continuasse, você iria me largar quando o meu contrato de trabalho chegasse ao fim, você fez o mesmo com a Teresa, largou-a ao fim de 6 meses.
- Você não vê que tudo isso é mentira? Eu te amei mais do que já amei alguém. - elevei o tom de voz, eu estava possesso. - O seu plano também envolvia casar e me roubar né? Exatamente como a outra vagabunda fez comigo. 




Os nervos eram tantos que comecei a caminhar de um lado para o outro. Passar por isto uma vez foi horrível, passar por duas, era pior que o inferno. 




- Você agora vai ouvir toda a verdade, eu vou te contar tudo que aconteceu antes.
- Isso não irá mudar nada. - falou despreocupada.
- Eu e a Sandra namoramos durante um ano e eu pedi-a em casamento. A gente morava num apê no centro de SP, estávamos fazendo planos para construir a casa dos nossos sonhos. Nós éramos felizes, o típico casal perfeito, invejado. Mas tudo mudou depois de um ano, quando eu cheguei mais cedo de uma viagem. - respirei fundo - Eu queria surpreendê-la e acabei sendo surpreendido. Ela estava me traindo com um cara qualquer e já fazia muito tempo.
- Tadinho. - Alexa ironizou e fuzilei-a.
- Ela tinha planos para me roubar e fugir com o amante, mas como eu descobri mais cedo, ela apressou as coisas. Naquele momento ela me apontou uma arma e disse para eu a obedecer. Eu fui preso numa cadeira sendo ameaçado de morte a cada minuto pela mulher que amava.
- Isso parece filme. - riu.
- Pode parecer, mas foi a verdade. Enfim... ela queria milhões e milhões de dinheiro, lógico que eu não lhe daria. O que eu não sabia era que o amante dela tinha saído do apê e foi perseguir a minha irmã. A Bruna teve um acidente e escapou por sorte, você imagina o que é saber que a sua irmã corre risco por sua causa e não pode fazer nada? É horrível. - falei me lembrando de tudo.
- Por que ela iria querer magoar a sua irmã?
- Porque eu me neguei a ceder às suas ameaças, ela queria me mostrar que não estava brincando, que seria capaz de tudo. Desde o início ela queria me roubar.
- E como você escapou disso? - perguntava fingindo interesse na conversa mas o seu tom de voz sarcástico, mostrava que ela não estava acreditando em nada disso.
- O Rober me ligava vezes sem conta para me contar sobre a Bruna e eu não atendia, então ele foi lá em casa, mas levou o Well. A Sandra não abriu a porta, fingiu que ninguém estava lá. Mas o Testa tinha rastreado o meu celular e sabia que eu estava em casa, então o Well quebrou a porta e entraram. - suspirei e fechei os olhos, pensar em tudo aquilo era doloroso demais.
- E?
- E ela disse que iria me matar se eles fizessem alguma coisa. Você não sabe o que é ver nos olhos da pessoa que você ama a vontade de te matar.
- Aposto que eles fizeram alguma coisa e, como vemos, você continua vivo. Ou seja, tudo isso não passa de uma mentira.
- Eu estou vivo porque o Well teve a coragem e a inteligência de agir na hora certa. Depois disso, o amante dela foi preso por perseguir a Bruna e, a Sandra, me deu o divórcio e recebeu algum dinheiro para desaparecer e ficar quieta, ou então iria para a prisão também. Mas ela voltou disposta a me arruinar, você não entendeu que foi tudo armação no meu estúdio? Você acha que eu seria capaz de fazer algo assim com você?
- Por que você não a puniu logo?
- Porque eu amava-a. Mesmo que ela me quisesse matar, eu não tive coragem de a entregar. Mas agora que sei que ela está por trás de tudo isso, eu não vou ficar parado. 




Alexa riu e encarei-a confuso. Não tinha graça nenhuma. Ela estava numa missão de me tirar do sério e me levar à loucura. 




- Você não entregou antes, nem irá entregar agora. - aquela voz soou atrás de mim e quando me virei, vi Sandra segurando uma arma em minha direção.
- Você continua louca. - gritei.
- Nunca fui, apenas não dispenso milhões. - riu. - A Alexa é uma parceira ótima, a Debbie também seria, mas tivemos de agir rápido, já que você descobriu a traição da Alexa antes do previsto.
- Não acredita nela, por favor Alexa. A gente ainda pode resolver as coisas, eu sei que você me amou em algum momento. - tentava encontrar alguma réstia de humanidade nela, na mulher que amo.
- E vou acreditar em você que além de me ter na mão, também queria ter o meu irmão? Você disse que eu não sei o que é se sentir impotente quando o nosso irmão pode correr perigo, mas eu sei. O que você queria com isso? Usá-lo para me atingir? 
- Ele nunca esteve em perigo. - falei firme - Eu ajudei o seu irmão antes mesmo da gente ter alguma coisa, porra.
- Ele está contra mim, a gente brigou feio e ele está zangado comigo, tudo porque vê em você um rei que lhe pode dar tudo, você virou o meu irmão contra mim.
- Cala a boca Alexa. - Noah disse aparecendo de surpresa ali, provavelmente provou que era meu funcionário e autorizaram a entrada - Você é a errada de toda essa história.
- Noah... - ela murmurou e Sandra mantinha o seu olhar em mim, aquele mesmo olhar de anos atrás, ela queria me matar.
- O Luan me levou para uma clínica de reabilitação e me ajudou a superar as drogas, você tem noção do ato altruísta que ele teve? Ele me ajudou, não para ganhar pontos com você, mas para você ter o irmão que merecia, porque ele se preocupa com você. Ele te ama, Alexa.
- Não estraga os nossos planos, ou eu atiro em você também. - Sandra alertou - Alexa acabou esse assunto, você sabe muito bem o que aconteceu, entre nesse avião e vamos cumprir o que combinamos.
- Sou eu Alexa, seu irmão. - Noah tentou mais uma vez - Eu errei com você, mas você me conhece, você sabe que eu estou falando a verdade.
- Alexa entre logo. - Sandra gritou e dei alguns passos em sua direção para dar tempo de Noah encontrar a antiga Alexa ali.
- Por que você fez isso comigo, Sandra? Por que você não me deixa ser feliz uma vez na vida? Por que tinha de levar a Alexa junto? Você estragou a essência dela, você tornou-a numa cobra como você.
- Eu te disse que você não seria feliz com ninguém. Eu avisei Luan.
- Mas porquê, porra? - gritei nervoso.
- Você colocou o amor da minha vida na prisão. - esbracejou - Ele foi assassinado antes de eu voltar, eu tinha de me vingar, porque a culpa é toda sua. - choramingou descontrolada.
- Ele foi preso porque mereceu, não tenho culpa se ele arrumou inimigos na prisão e acabou morto.
- Mas foi você que o mandou para lá, e você terá de pagar por isso. 




Noah continuava conversando com Alexa, ela chorava agora e eu esperava que tivesse visto o erro que cometeu. Sandra apontou a arma em minha direção e a polícia entrou nesse instante. 




- Eu posso ser presa e pagar por tudo, mas você não ficará aqui para rir de mim. - falou me encarando e senti um baque no meu peito.
- Não! - Alexa gritou vindo ao meu encontro - Não, Luan, não !!!! - ouvi outro disparo, mas não foi para mim. 







A minha camiseta se encheu de sangue e, caí de joelhos no chão, vendo Alexa cair ao mesmo tempo, também baleada. A escuridão me envolveu no segundo seguinte. 




***




- Ele está acordando. - ouvi uma voz distante, tentei abrir os olhos mas a luz incomodava demais - Luan?!




O que estava acontecendo? Por que eu me sinto estranho? Ouvi mais vozes e fiz um esforço para abrir os olhos, dando de caras com a Bruna. 




- Finalmente. - disse aliviada - Finalmente, Luan, você acordou. - falou empolgada.
- O médico já vem meu amor. - mamusca falou e eu ainda estava boiando. 




O médico apareceu minutos depois e me analisou, concluindo que estava tudo bem comigo. A bala que me atingiu passou um pouco longe do coração e não fiquei em risco de vida, apenas estive em coma induzido durante alguns dias. Aos poucos fui me lembrando de tudo que aconteceu. 




- Como tudo acabou? - perguntei.
- A Sandra se matou. - o meu pai informou - Ela atirou em você e na Alexa e, depois, atirou nela própria. - Não sei porquê, mas fiquei feliz com essa novidade. Me sentia finalmente livre e aliviado.
- E a Alexa? - perguntei - Eu lembro que ela caiu do meu lado, ela ficou bem? 




Todos se entre olharam me deixando nervoso, será que aconteceu algo grave com ela? 




- Ela está bem, também. - Bruna se pronunciou. - Apenas está com o braço enfaixado.
- Então por que demoraram tanto pra responder? - rebati.
- Ela disse que queria te ver, mesmo com a mãe a proibindo de chegar perto. - encarei mamusca que assentiu.
- Ela só trouxe o mal para a sua vida, de novo. Não vou permitir que volte a te machucar. - se explicou.
- Na verdade eu é que a trouxe para a minha vida. - ri fraco. - Mas nós temos algumas coisas para acertar ainda, mãe. Então teremos de conversar.
- Quanto mais demorar melhor, não a quero te preocupando aqui no hospital. Agora você tem de se recuperar completamente.
- Como estão as minhas fãs? - perguntei sabendo que elas devem estar morrendo de preocupação.
- Doidas para terem notícias. Várias ficaram na porta do hospital, algumas continuam, e todas estão orando por você. - o meu pai comentou.
- Depois eu posto uma foto para as acalmar. 




***

Alguns dias se passaram e eu continuava no hospital. Os meus amigos vieram para SP e passavam os dias comigo, assim como a minha irmã e a minha mãe, o meu pai passava lá todos os dias sempre que saía do escritório e Rober vinha sempre junto. Recebi visitas de muitas pessoas da minha equipe, mas hoje receberia uma visita diferente. 




- Posso, cara? - Noah disse abrindo a porta.
- Claro. - ele entrou acompanhado de Tatiana, o que me fez abrir um sorriso trocista.- Namoradinhos, é? - zoei.
- Estamos nos conhecendo melhor, apenas. - Tati explicou e beijou o meu rosto. - Como você está?
- Melhor. - sorri - Noah... - o encarei - Obrigado pelo que você fez no aeroporto, por tentar me defender e mostrar que eu estava certo.
- Por nada. Eu tinha brigado com a Alexa antes e sabia que ela ia fazer merda. Ela não me contou tudo, mas não me cheirava a boa coisa. Eu só queria ter a minha irmã de volta e, além do mais, pude ver quem você é.
- Ela acreditou em você? - perguntei, sabia que Alexa não tinha acreditado em mim.
- Custou, mas no final ela acreditou, sim. Principalmente quando você foi baleado, nunca vi um olhar tão assustado no rosto da minha irmã, nem quando eu a ameaçava.
- Esse olhar foi medo de perder para sempre a pessoa que ama. - Tatiana comentou.
- Ela não me ama, ela me traiu Tati. Ela me traiu com o ex. - ri sem humor - E as atitudes dela não eram de alguém que ama.
- Ela tem uma explicação para isso. - Noah disse - Você só precisa querer vê-la. Ela tem algo importante para te contar também.
- Onde ela tem ficado, ela ainda está no hospital?
- Não, ela está em minha casa. - informou - Ela veio junto. - avisou em seguida - Se você...
- Manda ela entrar então. - falei rapidamente, eu queria reencontrá-la e ver o que ela tinha para me falar. Não iria perdoar facilmente, ainda me custava acreditar que ela preferiu acreditar na Sandra, e não em mim, mesmo convivendo comigo e vendo o tanto que eu a amei e o tanto que eu me esforcei para a fazer feliz. 




Ela poderia ter raiva de mim, mas eu nunca fingi para que ela ficasse comigo. Eu só queria amá-la e mostrar-lhe isso. Mas parece que nada disso importou, ela não levou nada em consideração.
Noah e Tatiana saíram e, enquanto esperava, pensei na ironia da vida. Eu e Noah não tínhamos uma relação boa, era à base de ameaças da minha parte, sempre foi uma relação de ódio. Mas agora, parecia que tínhamos uma relação de amigos, ao ponto dele me ajudar. Já Tatiana, passou de ex-peguete a amiga. Talvez, se eu quisesse conhecer mais as minhas peguetes, saberia do bom carácter dela e até teríamos tido algo mais sério. Mas a vida muda sempre os nossos planos.
A porta voltou a abrir e Alexa se revelou, ela tinha o cabelo mais curto, o que lhe ficava perfeitamente bem, e tinha o braço dobrado no peito. Vestia um vestidinho branco de renda, lhe dando um ar calmo e angelical. Mantive um semblante sério, não iria facilitar. 




- Oi. - disse tímida e acenei com a cabeça - Obrigada por me aceitar ver.
- Só quero entender algumas coisas que estão soltas. O seu irmão disse que você iria me explicar. - falei sério sem esboçar qualquer sorriso.
- Sim, eu quero mesmo me explicar. - olhou o chão envergonhada, ela ainda estava um pouco afastada da minha cama.
- Pode começar.
- Eu nem sei o que dizer primeiro. - riu fraco.
- Eu faço as perguntas, você responde. Ok? - sugeri e ela assentiu - Primeira pergunta: Você não pensou nenhuma vez desistir desse plano da Sandra?
- Ás vezes eu queria esquecer tudo isso, principalmente quando você demonstrava que me amava, eu queria acreditar que o melhor era esquecer tudo e me entregar a você, mas as imagens daquela situação não saíam da minha cabeça.
- Você disse que estava se apaixonando por mim, quando você acordou, não teve vontade de continuar se apaixonando? As minhas atitudes não te fizeram se apaixonar?
- Fizeram, mas eu estava cega por vingança e quando me apercebi que estava realmente apaixonada, decidi me afastar.
- Você poderia ter pedido o divórcio, me pouparia de ser corno. - rebati.
- Você tem razão. Mas eu só te traí porque eu vi que me afastar não resultou em nada. Podia parecer que não, mas me doía te tratar de forma fria e distante. Me doía porque... - começou a chorar e cerrei o olhar para ela - Eu vi que te amava. Mas eu não podia desistir, eu tinha de me vingar, então me envolvi com o Rick na triste tentativa de me forçar a te esquecer.
- Então você me ama? - perguntei atordoado.
- Mais do que poderia imaginar. - limpou o rosto e me encarou - Quando eu te vi sangrando, eu pedi a Deus que se ele te levasse de mim, para me levar atrás. Eu não queria viver num mundo sem você, eu vi que poderia perder tudo de melhor que me aconteceu na vida por um erro meu.
- Mas você não me perdeu... - comentei.
- É, mas sei que terei de batalhar muito para te ganhar de novo. Isso se você ainda estiver disposto a me perdoar e a dar uma nova chance.
- Você quer tentar novamente? - perguntei surpreso, pensei que ela realmente não me amava e que queria ficar com o Rick.
- Quero, você quer?
- Eu não sei ainda o que quero, Alexa. Você me magoou muito e vai demorar para sarar.
- Eu sei, mas estou disposta a esperar o quanto for preciso. Você também esperou um mês para eu acordar e você poder fazer as coisas certas, então, agora é a minha vez. - se aproximou mais de mim - Se servir de consolo, desculpa, eu realmente estou arrependida. Já devolvi o seu dinheiro e não quero mais te incomodar com coisas fúteis.
- Você me ama mesmo? - perguntei querendo ter a certeza. Parecia tão surreal para mim.
- Amo, não só eu. - disse choramingando, mas desta vez, de alegria. - Eu estou grávida, Luan. - contou e acariciou a sua barriga. 




Fiquei olhando a sua figura a meu lado processando as suas palavras. Ela estava grávida? E ela estava me contando isso porque o filho era meu? Eu ia ser pai? Ou era do Rick? 




- Parabéns. - disse ainda sério e Alexa me olhou confusa.
- Parabéns para você também. - disse meio pensativa - Você pensa que é do Rick né?
- E não é? A gente mal transava ultimamente e se vocês dormiam juntos, é o mais certo.
- Eu só me envolvi com o Rick há um mês e meio, eu estou grávida de dois. É seu, Luan. - riu fraco e arregalei os olhos para ela.
- Eu vou ser pai? - assentiu - Como você não sabia disso antes?
- Ao que parece eu não tive os sintomas normais e, o fato de eu ser magrinha, serviu para eu não notar muita diferença no meu corpo. Só descobri agora quando levei o tiro no braço. 




Sorri emocionado, o primeiro sorriso verdadeiro de há muito tempo. Eu ia ter um bebé, um pequeno Luanzinho ou uma princesinha. Será que essa era a recompensa de Deus para mim, para me compensar por tanto sofrimento? 




- Um filho... - murmurei encarando a barriga dela - Posso tocar?
- Claro. - se aproximou e pegou na minha mão a levando ao seu ventre. A sua cara ainda era de choro, mas os seus olhos estavam tão felizes.
- Você quer muito isto não quer?
- Quero. - confirmou - Mesmo se você não me quiser mais, eu ficarei feliz de saber que temos algo em comum.
- Eu quero acompanhar tudo, quero estar o mais presente que conseguir na gravidez e ao longo da vida do nosso neném.
- Vou fazer de tudo para que isso seja possível. - acariciou a minha mão que estava na sua barriga - Me desculpa mais uma vez. Se eu pudesse voltar atrás, eu teria te escutado naquele estúdio e tentaria te entender. Eu fui muito burra.
- Agora não há mais Sandras, nem Teresas, para te cegar. Além do mais, tenho certeza que você aprendeu com o erro e não vai voltar a fazer a mesma coisa.
- Você tem razão, eu não irei mesmo. 




Quando ela saiu, eu fiquei sorrindo para o nada durante minutos, pensando na notícia maravilhosa que ela me contou. Eu iria ser pai, cara. Isso era a melhor coisa que me podia acontecer agora. Era tanta felicidade que não cabia em mim, comecei a chorar de alegria imaginando que eu seria feliz, sim. Eu iria realizar mais um sonho, o maior de todos. Ser pai. 




- O que ela fez? - Bruna entrou preocupada no quarto - Por que você está chorando?
- Porque eu vou ser pai, Bruna, eu vou ter um filho, um nenénzinho. - expliquei e ela me olhou confusa - A Alexa está grávida.
- Oh meu Deus. - sorriu e se sentou a meu lado - Vocês se resolveram?
- Não, mas isso não importa, eu vou ser pai do mesmo jeito. - rimos.
- Fico muito feliz por você. - me abraçou como dava e começamos fazendo planos, como seria o quarto, de que cor seria a primeira roupinha, qual seria o nome... 




7 meses depois
Quando saí do hospital, decidi dar um, tempo de tudo. Precisava me recuperar direito e, em conversa com o meu pai, resolvemos fazer um hiatus na tour, mas não foi longo, eu não aguentaria estar longe das minhas fãs e do palco. Então parei apenas por três meses, até ao quinto mês de gestação de Alexa.
Nesse entretanto, dei um monte de entrevistas contando toda a história e toda a verdade. Estava cansado de esconder o que aconteceu. O apoio de recebi de amigos, colegas de profissão e das minhas fãs, foi incrível, me sentia sortudo por tê-los comigo.
Nesse tempo, anunciei a minha paternidade, também. Mas as perguntas que mais me faziam e as especulações que mais levantavam era sobre o meu relacionamento com Alexa. Quando voltei para casa, encontrei os papéis do divórcio no mesmo lugar onde os deixei, eles não chegaram nas mãos da justiça, ou seja, nada foi consumado. A gente ainda era casado. Não sei por que o fiz, talvez porque acreditava que nós ainda merecíamos outra chance. Nos encontrávamos bastantes vezes para conversar sobre o bebé, já não era mais estranho estar com ela e pensar nas maldades que ela me fez, porque ela voltou a ser a mesma Alexa de antes. Aliás, voltou a ser ainda mais encantadora com a barriga crescendo a cada semana. Era gostoso de acompanhar. 




- Luan! - Rober gritou por mim no preciso momento em que ia entrar no palco, estava fazendo show em SP.
- Agora não Testa. - resmunguei.
- Vai nascer. - avisou e olhei-o rapidamente, assustado com as suas palavras.
- Vai nascer? Agora? - questionei surpreso.
- Sim, vamos para o hospital, o show fica remarcado para outro dia. - riu do meu estado e saí correndo. 




Alexa estava com contrações fortes e o bebé nasceria muito em breve. Entrei na sala de parto e quando ela me viu, abriu um sorriso calmo, como se precisasse de mim para conseguir continuar. Apertei a sua mão e, tentei, passar-lhe toda a minha força. Eu estava anestesiado ainda, era tudo tão novo, tudo não diferente, tudo tão maravilhoso.
Ao final de alguns minutos um choro invadiu a sala e pude ver o meu garotão. Pois é, o meu primeiro bebé, era um menino. Quando descobrimos no quarto mês de gravidez, eu comecei logo imaginando longas tardes jogando futebol, andando de bicicleta, aprendendo violão. Tinha mandado reformar um quarto em minha casa, o antigo da Alexa. 




- É um meninão saudável e com uma garganta como a do pai, esse vai gostar de cantar. - o médico comentou nos fazendo rir. Peguei-o em meus braços ainda sujo de sangue e sorri ao ver a coisa mais linda que já fiz na minha vida.
- É a sua cara, né? - Alexa perguntou e lhe dei o neném - Espero que seja, pois você é a pessoa mais linda que já conheci. - sorriu emocionada beijando o nosso pequeno.
- Você é que é linda e realizou o meu maior sonho. - acariciei os seus cabelos - Quando você tiver alta, vamos para a nossa casa, você tem de ver como está lindo o quarto dele.
- Nossa casa? - perguntou me encarando e ri fraco.
- Sim, nossa casa. É hora de sermos felizes, é hora de vivermos o nosso amor com toda a transparência e verdade que deve ser vivido. É a nossa hora. Eu te perdoo, Alexa.
- Você me perdoa? - disse desacreditada.
- Perdoo, você merece uma segunda oportunidade e, além do mais, eu voltei a ver a mesma menina encantadora que conheci. Você voltou a ser a mesma, você voltou para mim.
- Foi a esperança de te ter de volta que me fez voltar a mim novamente. - sorriu chorando-  Obrigada, obrigada mesmo. Eu te amo muito. 
- Eu muito mais. - beijei a sua testa - Como será o nome do nosso menino?
- Pensei em Luan, mas não vou chamar o nosso filho de Luan Jr. - caí na gargalhada.
- Também acho que não seria uma boa ideia. - comentei - E se fosse...
- Rafael. - ela interrompeu o meu pensamento - Vai se chamar Rafael. - disse com um sorriso largo no rosto e eu sorri mais ainda.
- Rafael Morais Santana. - pronunciei o nome completo e dei um beijo em cada um - Vocês me fazem o homem mais feliz do mundo inteiro.
- Você nos faz as pessoas mais amadas e felizes do mundo inteiro.
- Ainda bem que não entreguei os papéis do divórcio, agora podemos partir diretamente para o casamento na igreja. - Alexa me olhava surpresa.
- Você não deu entrada nos papéis? - neguei.
- Algo me dizia que a nossa história teria duas caras, a primeira foi ruim , mas a segunda será maravilhosa. - sorri e selei os seus lábios - Deixa o Rafael crescer mais um pouco e nos casaremos do jeito certo.
- Eu te amo. - disse fraca caindo no sono pelo excesso de cansaço.




Peguei no meu garoto e o entreguei às enfermeiras para o arrumarem. Era só o início da vida feliz que eu desejei viver. É aquele ditado, "depois da tempestade, vem a bonança", a minha veio em forma de amor. Do amor de uma mulher e de um menino. Eles me salvaram, me fizeram volta a ser o mesmo de sempre. Agora, eu seria o super-herói deles. Não iria deixar nada nem ninguém acabar com a nossa felicidade. 




Fim


Chegámos ao fim, quer dizer, ainda falta o epílogo e os extras da Alexa. Mas em princípio só para a semana. Estarei incontactável durante o fim de semana e impossibilitada de fazer o que quer que seja. Mas segunda feira, espero voltar. 
Me deixem saber nos vossos comentários tudo que vocês acharam da fanfic e sobre o final. Irei responder todos. Obrigada desde já a quem me acompanhou até aqui, a quem leu e comentou. Um beijo, até pra semana <3 

2 comentários:

  1. Gente, ela fingiu o tempo todo 😱
    Depois de muitos sustos nesse capítulo, ainda bem que tudo se resolveu e ficou bem no final... Luan merecia ser feliz né? 💕💕💕

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A globo ta perdendo uma ótima actriz kkkkk merece um Oscar ! Pois é, Luan merecia ser feliz, já bastava de tanto sofrer. Obrigada por acompanhar sempre meu amor ❤️

      Eliminar